em
Internet Explorer 8 e o modo Super Standard

Internet Explorer 8 e o modo Super Standard

Internet Explorer

Primeiramente, não vou repetir aqui o que já foi dito em milhares de sites por aí, portanto, se quiserem mais informações sobre esse assunto que rolou durante essa semana no mundo dos WebStandards, é bom dar uma olhada nos seguintes links:

Mas como reagiram pessoas como: Anne van Kesteren, Ian Hixie, Dean Edwards ao ouvirem essa informação? Veja a opnião de alguns deles.

E você, leitor assíduo aqui do blog, o que achou dessa nova artimanha da Microsoft?

Comentários

  1. Eu juro que não entendo os desenvolvedores. Muita gente queria que o IE suportasse os padrões, e agora que suportará, todo mundo reclama. Não existe solução perfeita, ou quebra os sites já existentes ou não… e o único jeito do “não” existir é com “browser targeting” (sem traduções boas no momento). Vou desenvolver sempre com IE=edge e usar o CSS sem hacks.. pronto.

    por Alexandre Responder
  2. Faço das palavras de Anne van Kesteren e de Ian Hixie as minhas.

    Imagino ao fazer um site corporativo ter que fazê-lo no “modo IE7 ou 6″ por conta de navegadores antigos ainda em uso. Imagine chegar ao IE9 e seu download trazer também os IEs 8, 7 e 6.

    Suportar os padrões é uma coisa boa, gerar mais code forking (que é o caso) é extremamente prejudicial.

    []’s

    por Klaus Paiva Responder
  3. Curto e grosso?
    Tiro no pé.

    Acho que o mais correto seria exterminar de uma vez por todas o IE6 via automatic update.
    O IE7 já é bom o suficiente pra não precisar de código específico pra ele (na maioria dos casos, pelo menos pra mim) e, se o IE8 será ainda melhor, não faz sentido nivelar o desenvolvimento web por baixo.

    Eu concordo com o Diego Eis que a situação deveria ser contrária: o IE8 deveria sempre ser o IE8, a menos que alguém o mandasse ser o IE6, via essa maldita meta tag.

    Mas de qualquer forma, no momento em que o IE8 for lançado o IE6 vai morrer pra mim.

    por Jader Rubini Responder
  4. Pingback: Browser Targeting Version e o Internet Explorer 8 » Revolução Etc

  5. Pingback: Cátia Kitahara » Arquivo » Direcionamento de versão: ameaça ou perigo?

  6. Eu tou com um nível elevado de confiança em relação ao IE8!
    Na minha área de webdesign, por mim passam 3 a 4 templates para eu fazer do zero por dia, e eu não posso “prévisualizar” no firefox e no IE, porque BATE SEMPRE DIFERENTE!
    sempre!
    A solução é desenvolver os websites á base de IE, porque a maioria dos clientes e de todas as pessoas do mundo ainda usam o IE
    O IE6 era sim 5****** o 7 achei um pouco lento, e com muitos requisitos e bugs…
    O facto de o IE não suportar (ainda) CSS3 e o Firefox sim, dá um bom avanço ao browser.
    Mas ainda assim poucas ou nenhumas empresas vao o utilizar, pelo facto do IE nao ter compatibilidade com isso.
    Eu acho o 8 desnecessário por enquanto, acho que apenas uns plugins e updates ao 7 bastaria.
    Ainda estou para ver e para me rir da barracada que os 3 modos de visualização que o IE8 vai ter . . . .
    Não digo mais nada.
    [[]]’s

    por Ricardo Miguel — Responder
  7. Pingback: Vem aí mais um Internet Explorer, que legal — Rafael Marin

  8. Eu ainda não vejo melhorias nenhumas. Microsoft continua com a ideia que o merdado é todo dela (que é realmente), mas com a sua atitude imperialista.

    Em vez de simplificar, continua a complicar. E continuo a não ver renderização aliada aos standards. Assim como a optimização do javascript continua uma porcaria.

    Cumps.

    por Pedro G Responder
  9. Ridículo isso q a M$ fez, só tava tentando ganhar tempo pra continuar estimulando desenvolvedores mulambentos a continuarem fugindo de seguir padrões.

    Queria mesmo “naum quebrar a Web”? Deixava IE6 e IE8 funcionarem juntos, em vez de eliminar o IE6 durante a instalação (aki eu tenho um IE7 Portable q roda do lado dos outros tranquilo).

    É uma tentativa de esconder dos usuários a lambança q fez. Se ela liberasse várias versões do IE, os usuários iam perceber q tinha alguma coisa errada pelo fato de certos sites naum rodarem no IE8 e exigir q eles abrissem o IE6 de volta. Inqt q eles sempre culparam os outros browsers por naum rodarem esses sites, oq acontecia era q os sites eram feitos especificamente pra só rodar no IE6 e dar problema nos q seguiam os padrões, e agora a M$ tá colhendo oq plantou vendo um browser seu q (ainda porcamente) suporta os padrões sofrendo dos mesmos problemas q ela criou pra atacar a concorrência.

    Mas, colocando engines ultrapassadas escondidas dentro do browser mais novo, e exigindo essas tags, ela faz tudo rodar “perfeitamente” no IE e continuar dando problema no resto. Legal né?

    Solução? Bão, qd a gente tinha os VCRs, toda vez q a gente clickava no botão com o triângulo apontando pra direita e o label PLAY em cima a reprodução da VHS começava. Isso naum mudava de marca pra marca de VCR, e oq aconteceu qd os DVD players chegaram??

    Poisé… a gente naum deve desenvolver pra browsers específicos, sendo obrigado a dar suporte a browser antigos e ter q atualizar sites toda vez q versão nova aparece.

    A solução é a gente desenvolver pra padrões. Garantir q nosso HTML seja válido na versão q escolhemos e especificamos no DOCTYPE, garantir q nosso CSS siga as especificações da versão escolhida, e cobrar q o JavaScript seja padronizado de vez no q tange interagir com os padrões.

    Dessa forma, basta dizermos quais padrões usamos pra desenvolver o site, e no máximo linkar algum lugar q liste os browsers a suportam esses padrões. Todos os browsers, inclusive os q nunca tivemos contato na vida, q suportarem os padrões q usamos vão exibir o site da forma q desenvolvemos e modelos ele. Os browsers q naum suportarem os padrões, seja por serem mais antigos q eles ou pelos padrões serem tão velhos q já naum são mais suportados, naum vão conseguir renderizar da forma original. Pronto.

    Assim escolhemos 1 único browser, q suporta completamente o padrão q desejamos, e usamos ele pra teste, validamos o site no padrão e fechamos o projeto. Nós como Web Developers fizemos nossa parte seguindo os padrões, e aí os Browsers Developers fazem a deles tb seguindo, e todo mundo conversa a mesma lingua.

    Nós podemos comprar qqr HD q ele vai caber em qqr gabinete, naum precisamos comprar conjuntos gabinete-HD pra encaixar. Podemos comprar um gabinete customizado q coloca HD de lado em vez de colocar de frente q continua encaixando, pode ter até gabinete q coloca HD na horizontal, mas todos encaixa em todos, com exceção de gabinetes de grandes fabricantes q vem tudo fora do padrão pra obrigar a gente a fazer upgrades só com eles. Aí a gente boicota.

    Se seguimos um padrão e um certo browser naum exibe nosso site direito, a culpa é do browser. Aí cabe à gente escolher o padrão q vamos usar, geralmente o padrão mais popular e amplamente suportado no mercado. Ou o mais promissor no caso dum site q deve ficar idêntico por muito tempo no futuro, ou o padrão q gera melhor resultado no browser dum cliente q quer o site bem exibido nakele browser como prioridade principal.

    por Hikari Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>